Vista externa do Coliseu em Roma
Itália

Visita ao Coliseu em Roma e Foro Romano

Atualizado em

A história do Coliseu Romano

Para iniciar sua visita ao Coliseu em Roma vamos conhecer um pouco da sua história. mesmo porque, conhecer de história será fundamental para aproveitar plenamente esse passeio.

O Coliseu surgiu um pouco depois que “nosso amigo” Nero tocou fogo em Roma (Reza a lenda!). Então, foi a vez de uma tal de Vespasiano tentar arrumar as coisas na cidade-estado. Porém, esse sim, tocou fogo de vez e foi quase no mundo inteiro!

Primeiramente vale destacar, que essa estória começou a rolar a quase 2.000 anos atrás. Tendo como resultado a construção de um dos maiores cenários de atrocidades da humanidade – Entre os anos 72 d.C e 80 d.C.

A partir daí as coisas começaram a esquentar literalmente, embora o objetivo principal do maior anfiteatro do mundo fosse a promoção de entretenimento. Na realidade, o que se via por lá era um verdadeiro de banho de sangue! Desta forma, o povo se distraia enquanto esquecia dos desmandos dos seus governantes. E assim, a história de Roma ficou atrelada a essa monumental construção denominada de Coliseu.

De luta corporal entre os famosos gladiadores até batalhas navais (É isso mesmo, n-a-v-a-i-s!), rolava de tudo no Coliseu. Inclusive, os lendários confrontos entre homens e animais selvagens. Como resultado de tando sangue derramado, estima-se que meio milhão de pessoas e um milhão de animais selvagens foram mortos dentro da arena.

Finalmente, com a queda do Império Romano o cenário horrores foi desativado. Ruíram quase dois terços depois de alguns terremotos. Então, com o passar do tempo, as suas pedras foram sendo usadas para a construção de vários edifícios na cidade de Roma. Desta forma, fica pergunta: O Coliseu estaria espalhado por toda a Roma??

Como é a visita ao Coliseu Romano?

Coliseu de Roma, vista interna.
Coliseu, Roma

Como é de conhecimento geral, os restos mortais do gigantes e imponente Coliseu de Roma são objeto da curiosidade de milhares de pessoas mundo a fora. Então, vamos contar aqui tudo o sobre o Coliseu para que você posa fazer a sua visita de forma produtiva.

Vale destacar que cabiam na arena cerca de 80.000 pessoas, distribuídas em seus três anéis externos. Além doa anéis existia a Arena (em si, onde rolavam os “espetáculos”) e o subsolo, onde os protagonistas dos “espetáculos” ficavam se preparando (digo, confinados).

Atualmente, a visita ao Coliseu é composto de 04 partes distintas: O subsolo, a Arena, dois níveis superiores e o Belvedere (o 3º anel). Desta forma, existem vários tipos de ingressos e cada um desses tipos da acesso a diferentes locais no interior do Coliseu. O ingresso comum da acesso apenas aos anéis superiores. Para visitar a Arena, o subsolo e o Belvedere é preciso ter ingresso especiais e que certamente custam mais caro.

Fórum Romano – Visita integrada ao Coliseu de Roma

Primeiramente, vale frisar, que o Fórum era do centro da vida social, religiosa e política da Roma antiga. Obviamente, hoje iremos encontrar apenas as “ruínas” do que foi o local. Inicialmente, era o ali onde estavam edificados os templos religiosos da Roma antiga. Posteriormente, instalaram-se naquela região prédios comerciais e edifícios administrativos do império.

Normalmente quando você sai do Coliseu, irá acessar o Fórum Romano pela Via Sacra. Uma vez que, o ingresso do Coliseu da direito a visitar também o Fórum.

A via Sacra é rua histórica onde eram homenageados os militares vitoriosos nas batalhas de expansão do Império Romano. Logo no início da via, é impossível deixar de notar o majestoso Arco de Constantino. Talvez, um dos mais emblemático e preservado monumento desse sítio arqueológico.

Arco de Constantino, Via Sacra. Foro Romano.
Arco de Constantino, Roma.

O sítio arqueológico do Foro Romano

É grande a diversidade de edifícios históricos que foram descobertos na região, por volta do XIX, em meio as escavações para construção de novas vias na cidade. Inclusive, é possível encontrar por lá construções erguidas antes mesmo do nascimento de Cristo! Podemos citar como exemplo o Templo dos Dióscuros que data do século V a.C., o Templo de Cesar de 29 a.C. e o Templo de Castor e Polux de 500 a.C..

Templo de Castor e Polux, Foro Romano.
Templo de Castor e Polux, Roma.

Como, acima de tudo, não pode faltar romantismo em nada nessa vida, cabe fazer destaque ao Templo de Antonio e Faustina, que data de 141 d.C.. A construção foi uma homenagem do marido para a esposa. Tendo sido na Idade Média transformado na igreja de San Lorenzo in Miranda. Esta é outra construção bastante preservada que pode ser apreciada na visita combinada do Coliseu com o Foro Romano.

Templo de Antonio e Faustina, Fórum Romano. Visita ao Coliseu de Roma.
Templo de Antonio e Faustina, Roma.

Como é difícil falar em Roma sem falar muitas vezes em Nero, não é mesmo? Pois então! Depois do grande incêndio de 64 d.C., o “maluco” megolomaniáco resolveu construir um suntuoso palácio chamado de Domus Aurea . Certamente, em sua própria homenagem!

É exatamente sobre esse palácio que em 121 d.C. foi erguido outra simbólica edificação do Fórum Romano – O Templo de Vênus. Simplesmente o maior templo pagão do Império e mais um edíficio imperdível nesta grandioso sítio arqueológico da cidade de Roma.

Templo de Vênus, Fórum Romano. Visita ao Coliseu.
Templo de Vênus, Roma.

E não para por ai! São muitas construções interessantes neste que é um dos maiores sítios arqueológicos do mundo. Portanto, reforça-se a necessidade de bom conhecimento em história e arqueologia para melhor aproveitar a visita. De outra forma, muitas coisas passarão desapercebidas e poderão serem vistas como meras ruínas.

Talvez, na minha modesta opinião, a visita ao Coliseu e ao Foro Romano seja um dos passeios no mundo com maior necessidade de contratação de um guia. Afinal, simplesmente visitar uma atração para tirar fotos sem saber o que está vendo, não vale a pena odo o investimento feito.

Palatino de Roma.

O Monte Palatino é onde, reza a lenda, que ficava a caverna onde foram criados pela loba Luperca os irmãos Rômulo e Remo.

Segundo relatos históricos, o lugar já era habitado desde o ano 1.000 a.C.. Um pouco mais tarde, já depois que Rômulo matou Remo e fundou Roma, passou a ser habitado pela alta classe Romana.

Além de um pequeno museu onde é possível encontrar neste local diversos artefatos extraídos desse sitio arqueológico. Estão espalhadas por lá vestígios e “ruínas” (Perdoe-me os cultos kkk) de diversas construções feitas ao longo dos anos.

Piazza Venezia – O “Gran Finale” da visita ao Coliseu!

Apesar de não fazer parte do pacote, a saída do Fórum Romano desemboca nesta que, na minha opinião, é uma das praças mais bonitas de Roma (e olha que são muitas). Onde encontramos em destaque um belíssimo palácio e o Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II, erguido em homenagem a Vítor Emanuel II, o primeiro rei da Itália unificada no século XIX.

Piazza Venezia - Roma
Piazza Venezia, Roma.

Ingressos e Preços.

  • Ingresso combinado para visitar o Coliseu (1º e 2º anel apenas) + Fórum Romano + Palatino. 16 Euros. Válido por dois dias. Compras no site oficial aqui.
  • Ingresso combinado para visitar o Coliseu (1º e 2º anel apenas) + Fórum Romano + Palatino, Com guia em Espanhol. 28 Euros. Compras aqui.
  • Ingresso para visitar o Coliseu (1º e 2º anel apenas), com guia em português e acesso sem filas. 37,50 Euros. Compras aqui.
  • Ingresso para visitar o Coliseu (1º e 2º anel apenas) + Fórum Romano + Roma Antiga, com guia em Português e acesso sem filas. 43,20 Euros. Compras aqui.
  • Ingresso combinado para visitar o Coliseu (completo – Subsolo e Belvedere) + Fórum Romano + Palatino. Com guia em Espanhol. 72,20 euros. Compras aqui.
  • Outras opções. Compras aqui.

Finalmente, O que esperar da visita ao Coliseu?

Acima de tudo é necessário identificar o seu perfil de viajante. Provavelmente, se você gosta de história antiga, este será um passeio muito interessante. Da mesma maneira, para os amantes de arqueologia.

Certamente, para aproveitar ao máximo a visita ao Coliseu de Roma, é importante começar a visita após uma bela pesquisa nos livros de história. De outra forma, a maior parte do tempo, estará apenas vendo “meras ruínas”!

Consequentemente, as visitas com guias são uma boa saída se não tem tempo ou paciência para fazer pesquisas mais aprofundadas. Como resultado, a sua visita ao Coliseu de Roma será muito mais proveitosa!

Informações úteis.

Como chegar ao Coliseu:

  • Metro: Estação Colosseo. Linha MEB e MEB1.
  • Ônibus: Estação Colosseo. Linhas 51, 75, 85, 87 e N2.
  • Bonde: Piazza Del Colosseo. Linhas 3 e 8.

Localização do Coliseu:

Piazza del Colosseo, 00184 Roma.

Horário de funcionamento do Coliseu:

  • 08h30 – 16h30: 2 de Janeiro a 15 de Fevereiro – Sendo assim, a última admissão será até às 15h30.
  • 08h30 – 17h: 16 de Fevereiro a 15 de Março – Sendo assim, a última admissão será até às 16.00.
  • 08h30 – 17h30: 16 de Março a Sábado passado de Março – Sendo assim, a última admissão será até às 16h30.
  • 08h30 – 19h15: Do último Domingo de Março a 31 de Agosto – Sendo assim, a última admissão será até às 18h15.
  • 08h30 – 19h: 1 de Setembro a 30 de Setembro – Sendo assim, a última admissão será até às 18.00.
  • 08h30 – 18h30: 1 de Outubro a Sábado passado de Outubro – Sendo assim, a última admissão será até às 17h30.
  • 08h30 – 16h30: Do último Domingo de Outubro a 31 de Dezembro – Sendo assim, a última admissão será até às 15h30.
  • Fechado: 25 de dezembro, 1º de janeiro.

Cadastre-se e fique atualizados sobre novos posts!!

Email Marketing by E-goi

Compartilhe nossas publicações e nos ajude a produzir mais conteúdo para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um presente para você!! Download GRÁTIS
Coleção GUIA DE TRANSPORTE PÚBLICO NA EUROPA!

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Houve um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Na Viagem de Viajar usará as informações fornecidas neste formulário para entrar em contato com você e fornecer atualizações e marketing.